Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



social commerce.png

Um estudo efetuado pela consultora canadiana Aimia, conclui que 56% dos consumidores que seguem marcas nas redes sociais, fazem-no com a intenção de ver produtos; 31% têm o propósito de os comprar e 16% desejam apenas observar as últimas tendências.

Refere ainda que as fotografias são o elemento que mais influencia a compra, sendo o Facebook a plataforma que mais se destaca neste processo (19%); segue-se o Twitter (10%), Instagram (9%), Pinterest (7%) e Snapchat (5%).

O social commerce veio para ficar, vai continuar a crescer e a ganhar cada vez mais importância nas receitas das empresas. E a verdade é que, cada vez mais, as redes sociais funcionam para as marcas como autênticos catálogos on-line, que podem ser capitalizados por promoções momentâneas – e que funcionam como call to action para a efetivação da compra.

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 comentário

De Tea a 02.06.2016 às 09:35

Eu, por exemplo, já comprei um artigo que vi no pinterest. E, se calhar, inconscientemente, já comprei outros artigos que tinha visto nas minhas redes sociais e quando vi na loja despertou-me mais facilmente a atenção. Se vou às minhas redes sociais com a intenção de comprar artigos? Nem por isso.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

calendário

Junho 2016

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930