Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



blade-runner1.jpg

O original, com 35 anos, é um dos inquestionáveis da história do cinema; para muitos da minha geração, a versão director’s cut de 1992 é um filme de culto e é incrível como, apesar das renitências que tinha antes de o ver, este Blade Runner 2049 me conquistou.

Mesmo continuando na senda do futuro que continua a ser perigoso e pouco "sedutor" e do ritmo maioritariamente lento (e das quase 3 horas de duração e não tendo o “efeito novidade” do original), este mundo novo de imagens holográficas e seres artificiais que revelam emoções e procuram autonomia é um espetacular, poderoso e imperdível filme, com efeitos visuais absolutamente extraordinários – não desmerecendo, de todo, o original.

Versão Imax: tinha visto apenas “A Grande Muralha” nestas salas e fiquei com a sensação de que têm o condão de transformar um bom, num mau filme. De facto os argumentos de espetacularidade adicional são brutais e será uma experiência a repetir, com toda a certeza – sobretudo com os que efetivamente o mereçam.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



Mais sobre mim

foto do autor




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

calendário

Outubro 2017

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031