Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Caetano

09.09.16

A música de Caetano Veloso entrou na minha vida já bastante depois da adolescência, numa fase em que comecei a ouvir com mais atenção outro tipo de música que não rock, numa altura em que deixei de o achar uma espécie de mago velho.

Um pouco de atenção foi mais do que suficiente para perceber e sentir o óbvio encantamento - e, na verdade, para me achar uma realíssima besta por ter ignorado, durante uma parte da minha vida, um dos muitos deuses, se calhar o maior, da música popular brasileira.

Com o passar dos anos, para além de gostar (cada vez mais) de Caetano, comecei a degustar. E ontem assistimos a um concerto em modo de “menu de degustação”, intimo, de poesia cantada sempre acompanhada por um violão a encher a sala.

Como entrada, apareceu Teresa Cristina, com o extraordinário Carlinhos 7 Cordas, para cantar Cartola - compositor sambista da Mangueira. Uma hora quente e deliciosa de homenagem ao samba, absolutamente surpreendente e emocionante, o início de uma noite perfeita.

Depois, Caetano, o prato principal. 74 anos. Cantou maravilhosamente, como era suposto e ainda arriscou (e tão bem) um Love for Sale “à capela”, bem como o tema Libertação, em português - um poema de David Mourão-Ferreira interpretado por Amália. O velho que eu já achava velho há mais de 20 anos, foi sublime e fez-nos levitar durante todo o espetáculo.

O concertou terminou com os três em palco, qual sobremesa arrebatadora que nos deixa de barriga cheia e alma lavada.

Tenho a sorte de já ter visto ao vivo este expoente máximo da música brasileira uma meia dúzia de vezes. Se a vida o permitir, gostava de (pelo menos) duplicar este número. E saborear outra vez cada segundo da música de um mago, que de velho tem pouco.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



Mais sobre mim

foto do autor




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

calendário

Setembro 2016

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930