Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Manchester

23.05.17

manchester.jpg

Sou, regra geral, um gajo tolerante. E cada vez mais tenho menos pachorra para merdas sem importância nenhuma, perante uma conjuntura global catastrófica.

O que me faz “virar do avesso” são coisas como a que ontem aconteceu em Manchester. E que fazem vir ao de cima aquilo que imagino seja o pior de mim, ao ponto de desejar aos seres que cobardemente as perpetram, coisas tão más que nem consigo descrever.

Estes atos terroristas têm alastrado o medo por todo o lado, como se de um vírus se tratasse. Nas zonas turísticas e de grande tráfego ou nas salas de espetáculos, num qualquer momento de lazer com amigos ou família, não são raras as vezes em que nos passa pela cabeça a hipótese de um qualquer acéfalo se fazer explodir ou atropelar indiscriminadamente quem estiver à sua frente. E a normalidade com que estas coisas nos ocorrem significa que já nem sequer estão ao nível do subconsciente; a constatação de que a ameaça existe e pode acontecer efetivamente em qualquer lugar - mesmo num que pareça pouco provável e no qual até nos sentimos bastante confortáveis - é, talvez, uma das maiores vitórias do terrorismo. A bem de uma razão qualquer, que não é mais do que pura estupidez humana.

É esperando que a proximidade destes acontecimentos não nos traga desgostos maiores, que nos resta mostrar solidariedade para com as famílias das vítimas e aproveitar os meios e as redes sociais nesse sentido.

Os que mandam, os grandes líderes mundiais, não podem limitar-se a reagir como nós. A eles exige-se que, no combate ao terrorismo, os grandes interesses económicos não interfiram nas suas decisões. E que o seu “eagle eye” não aponte exclusivamente para o respetivo umbigo. Em nome da paz.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



Mais sobre mim

foto do autor




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

calendário

Maio 2017

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031